Árbitro que revelou ser homossexual lembra preconceito: ‘pensei em me matar’

Árbitro que revelou ser homossexual lembra preconceito: ‘pensei em me matar’

O experiente árbitro de rugby Nigel Owens, responsável por apitar a final da Copa do Mundo do esporte em 2015, entre Nova Zelândia e Austrália, desabafou e fez revelações graves e pessoais em entrevista concedida à rede britânica BBC.

Aos 45 anos, o árbitro galês, contou que assumiu sua homossexualidade há uma década e que isso trouxe sérias consequências. Desesperado ao descobrir e aceitar que era homossexual, ele tinha apenas 19 anos na época e chegou a procurar um médico para pedir ajuda. “Procurei um profissional e disse: ‘não quero ser gay. Posso ser castrado quimicamente?”, lembrou.

Owens falou também sobre o preconceito que sofreu por ser gay, que acarretou um grave problema de saúde. “Tive bulimia e usei esteróides. Chegou um momento que pensei em me matar. A arma estava encostada ao peito, no pescoço, por baixo do meu queixo. Estava pronto para apertar o gatilho”, contou.

Considerado o melhor juiz de rugby da atualidade e também de toda história da modalidade, Nigel Owens não só superou o preconceito das pessoas, como foi coroado com a escolha para apitar a final do Mundial no Estádio de Twickenham, em Londres, diante de 85 mil pessoas.

Fonte – Correios

Ver mais