Ouriçangas: Dois acusados de homicídio são condenados em júri popular

Ouriçangas: Dois acusados de homicídio são condenados em júri popular

Nesta terça-feira, (30) sobre a presidência do juíz Marco Aurélio Basto, instalou-se na Câmara Municipal dos Vereadores de Ouriçangas,  Sessão do Tribunal do Júri, para julgamento do crime de homicídio  contra  a vítima Carlos Alberto de Oliveira, ocorrido em outubro de 2014 no Lot. Encanto da Cidade, Ouriçangas-Ba.

De acordo com os autos, DEIVIDE CARDOSO PINTO e GLADISTONE ESTRELA AZEVEDO, foram denunciados pelo crime de homicídio  doloso previsto no art. 121 CP, com as  qualificadoras: § 2º,  inc. I – por motivo torpe; e inc. IV – recurso que dificulte ou torne impossível a defesa da vitima: Pena  de reclusão, de 12 (doze) a 30 (trinta) anos.

Durante a sessão, uma das irmãs da vítima desmaiou duas vezes em plenário, ao se deparar frente a frente com os supostos criminosos. Segundo informações ela presenciou o momento do crime e um dos acusados chegou a ameaça-la quando tentou socorrer seu irmão. 

O Tribunal do júri foi constituído por 07 jurados sorteados sem impedimentos dos 18 cidadãos ouriçanguenses convocados pelo Juiz  de Direito da Vara do Júri da Comarca de Irará. O Ministério  Público representado por Dr. Anselmo Lima, promotor de justiça substituto da 1ª promotoria de Irará e os Advogados dos acusados Dr. Daniel Barbosa e Dr. Antonio Dalgoberto, respectivamente representantes de acusação e defesa, participaram do colegiado.

Após cerca de oito (8) horas de oitivas e debates entre testemunhas, representantes de acusação e defesa, o conselho de sentença respondeu afirmativamente aos quesitos que  condenava os réus pela  prática do crime de homicídio doloso duplamente qualificado. Condenado-os: o réu GLADISTONE a 12 anos  de prisão e ao réu DEIVIDE CARDOSO a 14 anos de prisão, inicialmente em regime fechado, penas a serem cumpridas no Conjunto Penal de Feira de Santana, onde os mesmo já se encontram  presos.

A população lotou o plenário da Câmara Municipal dos Vereadores para prestigiando o trabalho do judiciário, estavam presentes também familiares da vítima e dos acusados, as quais dividiram as expectativas e o sentimento de absorvição e condenação, segundo informações de um dos advogados de defesa os acusados foram condenados por 4×3 votos, por pouco não houve a absorvição, afirmou o mesmo. 

Ver mais